top of page

EM CARTAZ

EM CARTAZ
Cópia de Loius Guillaume - Fábio Alt
Cópia de Loius Guillaume 1- Foto Fábio Alt
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Crédito da Imagem: Vico Dalagnol
Cópia de Exposição Synchretismo - Foto Fábio Alt
Cópia de Exposição Synchretismo 1 - Foto Fábio Alt
Cópia de Louis Guillaume - Foto Tiago Bortolini
Cópia de Loius Guillaume 2 - Foto Fábio Alt
Cópia de Núcleo
Cópia de Plasma-72dpi
Cópia de Bio-72 dpi
Cópia de Arqueologia
Cópia de 3
Cópia de 1
Cópia de 2
Cópia de 4
Cópia de 6
Cópia de 7

Artista francês Louis Guillaume no Paço Municipal

A Aliança Francesa Porto Alegre, a Fundação Iberê e a Prefeitura de Porto Alegre, por meio da Coordenação de Artes Visuais, abriram a exposição “Synchretismo” de Louis Guillaume. Os trabalhos são resultado da residência artística do francês que passou 45 dias hospedado na casa-ateliê que pertenceu ao pintor Iberê Camargo, localizada no bairro Nonoai, em Porto Alegre. Com orientação de Eduardo Haesbaert, que foi impressor de Iberê, Guillaume utilizou elementos naturais encontrados na orla do Lago Guaíba e em sua rápida passagem pela cidade de Mostardas, a 175 km de distância de Porto Alegre, para produzir as obras desta mostra. 

“Graças ao trabalho no Ateliê de Gravura da Fundação Iberê, ao lado de Eduardo Haesbaert, eu pude, finalmente, superar a relação de intenção e de representação com o desenho para uma abordagem mais física, na qual o corpo está envolvido – levando o trabalho inevitavelmente à abstração. Essas folhas de papel foram trabalhadas no chão como uma pele curtida; delas, retirou-se qualquer forma de nobreza, procurando revelar a fragilidade e a descamação do papel, sua singularidade e vitalidade. As folhas de papel conheceram a chuva, o sol, o fogo, como se fossem as experiências de uma vida inteira ou, talvez, de suas origens reconstituídas. Muitas vezes inconcebíveis, os efeitos dos materiais que aparecem estimulam a imaginação e estabelecem a conexão que me faltava entre a pintura e a escultura”, descreve o artista. 

Aos 28 anos, Louis Guillaume vive e trabalha em La Rochelle. Formado em Belas Artes pela École Européene Supérieure d’Art de Bretagne (EESAB-Rennes), tem sua prática ligada à natureza e às estações, resultando em instalações orgânicas produzidas com materiais recolhidos do espaço urbano. 

Em 2022, Guillaume venceu o Prêmio Mondes Nouveaux, oferecido pelo Ministério da Cultura francês. No mesmo ano, realizou uma residência artística de dois meses em Manilla, nas Filipinas, por meio da parceria entre a Aliança Francesa de Manilla, o Centre Intermondes e a cidade de La Rochelle. Em 2024, após sua residência em Porto Alegre, o artista permanecerá por nove meses na Cité Internationale des Arts, em Paris, ao mesmo tempo em que liderará um projeto conjunto com o Centro de Arte Le Cyclope e o Conservatório Nacional de Perfumes, Plantas Medicinais e Aromáticas de Milly-la-Forêt.

A residência cruzada acontece no âmbito do 6º Prêmio Aliança Francesa de Arte Contemporânea, que também selecionou a artista brasileira Camila Proto, de 27 anos, para uma residência artística no Centre Intermondes de La Rochelle. 

 

visitação: até 8 de março de 2024, de segunda a sexta, das 9h às 17h

realização: Aliança Francesa de Porto Alegre e Fundação Iberê

patrocínio: Timac Agro

apoios: Casa Iberê, Consulado da França em São Paulo, Centre Intermondes de La Rochelle e Prefeitura de Porto Alegre

financiamento: Ministério da Cultura e Governo Federal

MOVIMENTO PERMANENTE DA MATÉRIA

MOVIMENTO PERMANENTE DA MATÉRIA é o título da exposição de Karen Axelrud no Paço Municipal. Na antiga sede da Prefeitura de Porto Alegre, agora transformada em museu de arte, são apresentados trabalhos em técnicas diversas como pinturas sobre tela, recortes e pintura sobre papel, além de objetos modelados pela artista. As obras são do período entre 2019 e 2021, seleção que pretende aproximar o público do processo criativo de Karen, das mudanças em sua produção e do caráter experimental vivenciado em seu ateliê.

A mostra é uma oportunidade para apreciar as obras presencialmente e refletir sobre o texto da historiadora da arte Themis Cheinquer:

“A presente exposição de Karen Axelrud se insere numa trajetória que se destaca por um longo processo criativo, abarcando pinturas, desenhos, colagens, gravuras e fotografias, universo que vem sendo revelado a cada nova mostra ao público. O título Movimento Permanente da Matéria, se inspira em conceitos de física e cosmologia contemporâneas que habitam a curiosidade da artista e permeiam este grupo de obras recentes. Nestas encontram-se dois elementos fundamentais no seu vocabulário formal: a persistência da linha e a sobreposição de planos, cores e dimensões. 

Se em fases anteriores as linhas formavam grades perfeitamente verticais e horizontais, traçadas à mão livre, no trabalho atual elas se curvam, formando elipses, círculos, espirais desenhadas por máscaras recortadas no papel. Tudo é questão de espaço e de tempo nestas obras. Tempo do processo artístico, criador e demolidor, tempo de contemplar, de circular entre as obras, tempo de reconhecer algo escondido nas formas abstratas, tempo de dialogar com as imagens. 

Aqui podemos adivinhar tanto um macrocosmo repleto de planetas, asteroides, nebulosas quanto um microcosmo de organelas celulares, átomos, núcleos, elétrons. Fragmentos, cacos, meteoritos ou simplesmente pintura sobre pintura coexistem. Cardumes de formas coloridas deslizam entremeados por linhas de força que se cruzam, amarram ou se expandem num movimento permanente da matéria. Se desordem existe, ela é bem-vinda, é parte do processo. Ou, se preferirmos, como diziam os gregos antigos, ‘o cosmos é filho do caos’. Karen nos brinda assim com uma experiencia visual intrigante que se revela pouco a pouco, como o mistério abissal do espaço que contemplamos em silêncio. Com suas pinturas, recortes e objetos, Karen Axelrud nos abre a janela a seu elegante universo criativo.” 

 

KAREN AXELRUD é pós-graduada em Artes Visuais pela Universidade Feevale e formada em arquitetura e urbanismo pela UFRGS. Interessada em abstração, transita entre técnicas usando geometria e sistemas como base no trabalho artístico. Utiliza em sua pesquisa poética a repetição de formas em camadas múltiplas para sugerir profundidade e movimento, bem como experimenta a presença do tempo do processo e do espectador. Realizou exposições em instituições culturais e museus no Brasil e no exterior, possui obras em coleções contemporâneas. Vive e desenvolve seu trabalho artístico em Porto Alegre.

 

VISITAÇÃO

até 1º de março de 2024, segunda a sexta-feira, das 9h às 17h

 EXPOSIÇÕES ANTERIORES 

o despertar das formas >

de iberê a maqui >

notas de subsolo >

VISITAÇÃO / CONTATO

Pinacoteca Aldo Locatelli

Paço dos Açorianos

Praça Montevidéu, 10

Centro Histórico - Porto Alegre

fone: [55] (51) 3289-3735 

Segunda à sexta-feira

9h às 12h • 13h30 às 17h

AÇÕES EDUCATIVAS

AÇÕES EDUCATIVAS

AGENDAMENTOS

Visitas guiadas às exposições da Pinacoteca Aldo Locatelli podem ser agendadas: 

acervo@portoalegre.rs.gov.br

[55] (51) 3289-3735

VISITA GUIADA

Visita de uma turma do Projovem Adolescente / FASC em 21 de março de 2018.

 

Veja o vídeo >

COLEÇÃO
HISTÓRIA

HISTÓRIA DA

COLEÇÃO

Conheça a história da Pinacoteca Aldo Locatelli.

HISTÓRIA DO PAÇO

Conheça a história do Paço

PUBLICAÇÕES
ASSOCIAÇÃO

A Associação das Pinacotecas de Porto Alegre – AAPIPA-  foi fundada em 2016 por um pequeno número de cidadãos  dispostos a uma tomada de ação efetiva em prol do desenvolvimento e difusão do circuito das artes na cidade de Porto Alegre. Seu engajamento se materializa no apoio as ações  e projetos das Pinacotecas Ruben Berta e Aldo Locatelli da Secretaria da Cultura da capital gaúcha e da Pinacoteca Fundacred em vias de passar á administração municipal por comodato. A AAPIPA estimula por meio do trabalho de seus associados o exercício do voluntariado, e na medida que propõe e co-executa projetos e eventos de interesse das pinacotecas e da população cultiva o desenvolvimento do empreendedorismo cultural.

 

COMO

PARTICIPAR

DIRETORIA

PRESIDENTE

Heitor Luis Beninca Bergamini

VICE-PRESIDENTE

Sandra Marisa Esteve Echeverria 

 

bottom of page