AOS OLHOS DE CHATÔ card único data
RB 126
RB 105
RB 122
RB 108
RB 101
RB 099
RB 100
RB 088
RB 080
RB 069
RB 056
RB 059
RB 058
RB 047
RB 045
RB 042
RB 040
RB 032
RB 022
RB 021
RB 011
RB 006
RB 003
Aos Olhos de Chatô
Pinacoteca Ruben Berta

Aos Olhos de Chatô

 

AOS OLHOS DE CHATÔ

 

A existência da Pinacoteca Ruben Berta se tornou possível devido a um “projeto civilizatório” de desenvolvimento econômico e cultural moldado a partir de uma modernização conservadora do país. Projeto esse com suas raízes na elite comercial e industrial paulista, a partir dos anos 1940 e que, entre outras iniciativas, promoveu o surgimento do MASP, em 1947, do MAM-SP, em 1948, e da Bienal de São Paulo, em 1951.
A formação da Pinacoteca Ruben Berta, dentro do projeto de criação de uma série de Museus Regionais pelo país, está inserida na conjuntura que levou ao movimento civil-militar de 1964, apoiando a ideologia do Governo Militar, num cenário de Guerra Fria (entre o mundo ocidental, capitalista e livre, liderado pelos EUA versus a URSS - União Soviética, e seus apoiadores), de desenvolvimento e integração nacional, sob a órbita de influência norte-americana.
Capitaneado por Assis Chateaubriand, com a decisiva colaboração de Yolanda Penteado, o projeto dos Museus Regionais visava estender as coleções de arte a todas as regiões do país, descentralizando o eixo artístico da região Rio de Janeiro-São Paulo, agregando valores locais e promovendo a circulação desses valores pelo território nacional, dentro de um “projeto civilizatório” de construção de uma “identidade” e promoção da integração nacional.
O plano ambicioso visava criar mecanismos de fomento e circularidade da arte pelo território nacional, tendo o MASP como ponto de partida e interlocução entre o nacional e o internacional, propiciando assim, o fomento da arte local e, em alguma medida, a influência de técnicas e estilísticas valorizadas no cenário internacional. A circularidade do projeto coadunava com a necessidade identificada pelo governo militar de promover a integração do Brasil e o afastamento da ameaça comunista estando presente no discurso moderno, além da promoção do desenvolvimento urbano e industrial.
Francisco de Assis Chateaubriand Bandeira de Mello, conhecido como Assis Chateaubriand (1892-1968) foi um magnata das comunicações entre os anos 1930 e 1960, sendo um dos homens mais influentes do Brasil nesse período; dono do que foi o maior conglomerado de mídia da américa Latina. Cocriador e fundador do MASP, em 1947, e responsável pela chegada da televisão ao Brasil, em 1950. Foi Senador da República entre 1952 e 1957.
Figura polêmica e contraditória, odiado e temido, Chateaubriand não media esforços para atingir seus objetivos. Entre as principais ações socioculturais que promoveu, estão a campanha pelo desenvolvimento da aviação no Brasil, a criação de museus, campanhas pela educação e empregos de melhor qualidade (via industrialização) e ações de acolhimento e assistência a crianças carentes e com deficiência física.

 

Luiz Mariano Figueira

 

VISITAÇÃO / CONTATO

Pinacoteca Ruben Berta

Rua Duque de Caxias 973

Centro Histórico - Porto Alegre 
fone: [55] 
(51) 3289-8292

Segunda à sexta-feira

das 10h às 12h

e 13h às 18h

(último acesso às 17h30)

Obrigado! Mensagem enviada.

  • Blogger - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

AÇÕES EDUCATIVAS

A VENTURA DO MODERNO

Visitas guiadas à exposição em cartaz na Pinacoteca podem ser agendadas.

CONTATO:

acervo@portoalegre.rs.gov.br

[55] (51) 3289-8292

 

COLEÇÃO

A Pinacoteca Ruben Berta guarda, conserva, restaura, divulga e promove o acervo doado em 1971 pelos Diários Associados ao Município de Porto Alegre, desenvolvendo também atividades de fomento à produção artística local, à pesquisa, ao ensino e à formação de público em artes visuais.